terça-feira, 13 de julho de 2010

Faxina espiritual.

Nossa, como é difícil escrever alguma coisa depois de tanto tempo. É como chegar de uma longa viagem e encontrar tudo fora do lugar: você precisa arrumar as coisas, mas não sabe por onde começar. 
É, acho que é isso. Minha mente está de cabeça pra baixo e precisa ser arrumada com urgência. Mas, por onde começar?
Talvez um bom começo seria guardar minha bagagem de experiências lá no fundo da memória, sem esquecer das lembranças que sempre me fizeram tão bem. Depois disso, limpar bem a consciência com muita honestidade; tirar todo excesso de responsabilidade das costas, as preocupações da cabeça e os medos do coração; encher meu dias de sabedoria e plantar muita generosidade no jardim da vida. Sem esquecer de organizar minhas ideias com objetividade, regar meus sonhos com coragem e cultivar meus amores com mais amor. 
Por fim, polir bem o sorriso e lavar a alma com o entusiasmo de uma vida nova.
Quem sabe assim - com a alma limpa e a cabeça em ordem - eu possa voltar a escrever alguma coisa boa por aqui.

8 comentários:

Willyan Luemi disse...

Grande iniciativa.
Nada como uma faxina na alma, Bruna!

Se todos os dias ao acordarmos, dedicassemos o nosso tempo para ajeitar a mente e o coração, assim como nos dedicamos a arrumar o cabelo, Teríamos um número bem maior de pessoas felizes andando por aí.

Beijo grande!

Jaime Guimarães disse...

Ou não necessariamente, Bruna. Às vezes, com a cabeça cheia de problemas e o coração repleto de sentimentos não muito positivos vale a pena colocar no papel - ou no editor de texto - algumas emoções que podem auxiliar na "faxina espiritual".

Que é algo que também preciso fazer, embora tenha conseguido limpar a metade, enquanto outra metade está espalhada por aqui e ali, algumas debaixo do tapete e precisando retirar o pó sobretudo do coração ferido - e ferido ficou, mas é como aquele objeto que deixamos ali, de lado: não deu mais defeito, deixa lá quietinho.

Mas às vezes eu mexo com algumas emoções. E o editor de texto trabalha. Só não publico...rs!

Bjs, Bruna! Você consegue, e você sabe que realmente é capaz.

Ewerton SA disse...

É... achoque a faxina foi feita com excelência!
Belo texto! *-*

Mas cuidado com o "tirar o excesso de responsabilidades". As vezes retiramos peso demais e acabamos tão leves que nos desviamos do nosso próprio futuro. ;D

;*

Canto do Lufa disse...

É verdade quando ficamos muito tempo sem escrever perdemos um pouco o rítimo mas aos pocuos voltamos

muito bom

Larissa Mejía (: disse...

OOi flor.
passando pra agradecer o comments que voce deixou no meu blog.
e se voce quiser me seguir. juro: nao fico braba . hahahaha
se quiser ver.
tenho uma atualizaçao lá. feita agorinha mesmo (:
'nao liga que eu escrevo sem pontuação aqui. é a preguiça da adolecencia acabando com o mundo .. G.G
Beijinhos;*

Salete Corrêa disse...

Bem-vinda de volta então, mas quem sabe se a melhor a maneira de fazer a faxina é deixar tudo bagunçado e jogar tudo aqui, os melhores textos são escritos em momentos de intensidade! Joga aqui, e a gente diz se sua bagunça é legal...

Visite lá: http://pontapedepartida.blogspot.com/

O mundo de cada um disse...

Preciso dizer que sua faxina foi feito. Pois esse texto está ótimo. Eu tmb passei um tempo, mas não fiz essa tal faxina.

.Mari. disse...

É por aí. Há momentos em que temos mil ideias e anseios na cabeça e no coração, mas falta aquela inspiração primeira pra que consigamos transformá-las em palavras escritas, seguindo qualquer que seja a organização/disposição destas.
E saber esperar esse momento sem ansiedade é positivo. Tenho certeza sim, de que lerei mais coisas boas por aqui. Pois gosto da sua forma de expressão: é singular.

Postar um comentário